Saturday, July 21, 2012

Meus pequenos.


Não sei o que mais me faz amar vocês. Não sei se é a bagunça que fica no meu quarto quando vocês três me visitam. Não sei se é o barulho que vocês fazem, cada um querendo me contar uma coisa diferente na mesma hora. Não sei se são as letrinhas da sopa, que inexplicavelmente vão parar na escada da minha casa depois da janta.

*

Talvez seja a emoção de ouvir você me chamar de Bel pela primeira vez em um ano e meio, depois de eu passar um dia inteiro tentando te fazer falar. Pode ser o orgulho que sinto, disfarçado de cansaço, de saber que eu sou a pessoa que você escolhe para subir e descer as escadas de casa incontáveis e eternas vezes por dia. Talvez sejam as brincadeiras repetidas que te fazem rir cada vez mais, e o olhar de cumplicidade que você me dá quando só nós duas entendemos a graça de algum gesto que é um código não-verbal só nosso. Ou então a sua mania de olhar para a minha cara, e não para a câmera, quando eu quero tirar uma foto com você. E esse dedinho que você usa para apontar para mim e me cutucar... É, talvez seja isso.


*

Talvez seja a alegria de ver você começando a ler, a escrever, e a reclamar que nunca tem como saber se as palavras são acentuadas, se é com CH ou com X, ou se o S tem som de “ssss” ou de Z. Pode ser a identificação imediata que tive com você o dia que você me disse que se tivesse R$ 100, gastaria tudo na padaria e na locadora. Talvez seja essa sua cara esmagável, e o jeito que você me deixa te esmagar. É possível que seja o número de vezes que você me chamou de “MINHA Bel”, ou o fato de você dizer que sabe dançar hip hop. Ou então o jeito que você chama o Scar de “ininigo do Rei Leão”. Ou ainda quando você me pediu, preocupado, que eu não esquecesse de você quando eu fosse para o “Cadaná”. Na verdade, talvez seja absolutamente tudo que você diz:

     Sua irmã: "ISABEL ao contrário é LEBASI. Diz outra palavra pra eu inverter."
     Você: "Computador."
     Eu: "Era bem essa palavra que eu tava pensando."
     Você: "Acho que foi Deus que me disse o que você tava pensando no seu cérebro."


*

Talvez seja o fato de eu ter acompanhado o seu nascimento, seus primeiros passos, suas primeiras palavras, suas primeiras frases geniais. Pode ser porque, aos cinco anos, sua parte preferida de Procurando Nemo era aquela cena em que fica tudo escuro e a Dory pergunta “ô Consciência, eu morri?” para o Marlin. Talvez sejam as coreografias de dança que você costumava inventar. Ou, quem sabe, o seu gosto por música, a sua vontade insaciável de aprender, as inúmeras listas de palavras que você faz e me pede a tradução para o inglês. Talvez seja a sua independência, sua personalidade forte, seu senso de responsabilidade. Ou, ainda, os comentários que você faz enquanto vê Super Nanny, criticando os pais que não educam os filhos direito. É possível que seja porque agora, com quase 10 anos, você não me pede mais um papel para desenhar, mas sim que eu pinte as suas unhas. Acho que é porque enquanto pinto suas unhas, percebo que estou pensando em vocês três e implorando: por favor, não cresçam tão rápido.


5 comments:

Nanci said...

Lindo! São esses momentos que fazem a vida valer a pena.

Marco Y said...

O legal destes blogs é poder registrar nossos momentos como um diário digital.

E sendo bem sincero, confesso que o tempo fez muito bem a vc. Era bonita em 2008 e está ainda mais bonita em 2012.

Parabéns pelos posts.

abs

Fabiane Bastos said...

Ei Bel, vamos agitar isso aki? Tem selinho p/ você lá no blog. Confere lá e traz p/ cá. (http://dvdsofaepipoca.blogspot.com.br/2012/08/selo-este-blog-e-perfeito.html)

Bjs

Fabiane Bastos said...

Ó já é o segundo selo hein!

Olá! Tem um selo para o seu blog lá no DVD, Sofá e Pipoca. Vá lá buscar, e parabéns!

Bjs
Bloqueiras do sofá!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR said...

Gostei do seu blog.
Cumprimentos cinéfilos!

O Falcão Maltês