Thursday, March 26, 2009

Empório Natureba.

A mesma amiga do post anterior me levou a um restaurante natureba, fazendo propaganda de uma determinada salada de frutas. Eu gosto de frutas, só não faço muito o estilo soja way of life. Impliquei um pouco, mas certo, lá fomos nós.
O ar cheira a gengibre com anis lá dentro. Sério. Eu já me senti purificada só de respirar. Deu uma sensação de limpeza interior, uma coisa meio vick vaporub.
Logo na entrada tem uma estante com chocolates expostos à venda. Chocolates sem açúcar, sem lactose, sem gordura, sem glúten. Chocolates sem chocolate, basicamente. Um pouco à frente, potes e mais potes com farelinhos. Toda a família do alpiste reunida em um só lugar. E amendoim sabor cebola e salsa. Não sei se eu sou conservadora demais ao achar que amendoim deveria ter sabor de, sabe, amendoim, mas isso me parece estranho. E coisas que eu nem sabia que existiam são cristalizadas e vendidas lá - e, aparentemente, são comestíveis!

Celulares não pegam lá dentro. Minha teoria é de que celulares são artificiais demais para aquele lugar. Não são aparelhos dignos. Quem ousaria profanar a pureza do ambiente usando um celular?
Enfim, chegamos à salada de frutas. Simples para mim, acompanhada de um quilo de granola para a minha amiga. Carambola é uma das frutas. Carambola. Quem coloca carambola em salada de frutas? Eu nem sabia que carambola era tão bom, ou que era uma estrelinha verde. Não tenho do que reclamar quanto a isso: com ou sem carambola, a salada de frutas média é enorme, vem em uma cumbuca, e é deliciosa.
Minha amiga tinha razão.
Droga.

Monday, March 23, 2009

Ponto de referência

Ao tentar resolver a melhor forma de fazer um trabalho da faculdade um dia desses, eis que minha colega diz: "qualquer coisa me liga, podes ligar a cobrar."

É isso.

No dia que eu puder receber chamadas a cobrar no meu celular vou sentir que sou adulta.
Até lá eu sou uma pirralha com celular pré-pago.

Monday, March 16, 2009

Não é hipocondria.

Ontem eu matei um lindo mosquito que tinha as patinhas com listras pretas e brancas. Um belo mosquitinho da dengue, que meigo. Ele tinha acabado de se alimentar, como pude constatar quando ele fez aquela sujeira toda nojenta na palma da minha mão. E eu estava sozinha em casa.
É.

Aí hoje uma colega de trabalho contou que o namorado dela tá com febre e dor no corpo, e brincou que acha que ele tá com dengue. Não se brinca com essas coisas, menina.

E agora entro no site da Uol e dou de cara com a notícia "Número de mortes por dengue na Bahia quase dobra em uma semana".

Eu sou sugestionável demais, isso não podia acontecer comigo. Agora vai demorar até alguém tirar da minha cabeça que eu tô com o vírus da dengue incubado em mim.

_

Ps atualizado: sim, eu tinha escrito 'encubado', como se o vírus estivesse em mim em forma de cubo. Brilhante, Isabel.

Thursday, March 12, 2009

Eu sei, é difícil.

- É... Rúmenrruc?

Não.

- Isabel... Rêrmenu *grunhidos*?

Ai, não.

- Rumenrruque?

Também não.

- Rumunhec?

Rumunhec, sério? Não.

- É Isabel...?

Humenhuk. Umenhúc. Sem erre, sem sotaque russo, sem tossir, sem inventar letras.

É Humenhuk.

Monday, March 09, 2009

Ligações duvidosas

Eu, no telefone no trabalho: ...então, aí por isso eu preciso de uma foto do presidente aí do sindicato, pode me enviar?
Mulher: olha, eu vou ter que te passar pra Fulana, porque é ela que cuida das partes pessoais do presidente.

Auto-controle. Crise de riso esperando pra sair. Vontade maluca de dizer que eu não queria falar com quem cuida das partes pessoais do presidente, não. Isso é íntimo demais pro meu gosto, e aquela era uma ligação profissional, que pouca vergonha.

Aí - graças! - veio a musiquinha da chamada em espera. Abençoada musiquinha. Deu tempo de retomar o controle.
Eu, hein. Não ligo mais naquele lugar.

Anseios cinematográficos

Estou interpretando esse negócio todo de tornados em Santa Catarina como um sinal.
Eu passei por uma fase da minha vida (de 1996 até hoje) com o sonho de ser a Jo de Twister quando eu crescesse. Agora é a hora de eu abandonar tudo e perseguir tornados! Não vejo a hora de detonar minhas mãos cortando latinhas de Pepsi, ter roupas auto-limpantes, brincar de jogar carros fora...

Eu amo Twister. É o filme mais legal já feito no mundo.

E em segundo, na minha lista de filmes mais legais, está Velocidade Máxima. O primeiro, porque ninguém me convenceu com aquele negócio de navio invadindo cidade no segundo filme. Ônibus voando tudo bem, navio na cidade, nem pensar.

O Retorno da Mãe

Eu, toda empolgada: Mãe, nessa música a Vanessa Carlton começa cantando "meia semana antes do inverno", e meu aniversário é meia semana antes do inverno!

Mãe: Ah, é mesmo, né? Porque é dia 16...

Eu: Mãe? Meu aniversário é dia 17.

Depois as pessoas não sabem por que eu sou traumatizada e problemática.

Sunday, March 01, 2009

A placa mais sugestiva que já vi:

. Resultado: crise de riso solitária no meio da rodoviária em Balneário Camboriú.

No clima

Ah, o verão...
Sol, praia, calor, areia, corpos bronzeados (e muita azaração) (é, não resisti), turistas...

Detesto tudo isso.
Tive que usar uma colher pra comer uma barra de chocolate agora. Não tá certo isso.
Quero meu inverno de volta.


Obrigada pela atenção.