Friday, January 23, 2009

Informação?

Chego no trabalho e abro a Gazeta Mercantil. É uma ótima oportunidade para me manter informada, logicamente. Tirando alguns pequenos atrasos como ler "Frio lança ameaças laranjas à Flórida" em vez de "Frio ameaça laranjais da Flórida" e aí ficar confusa por frações de segundo tentando entender que porcaria são ameaças laranjas, estava indo tudo muito bem, obrigada.

É aí que chego à humilde página de esporte no jornal.
Título: "Ronaldo mostra o fenomenal valor de R$ 15". Oi?
Linha fina: "Com dinheiro para freqüentar os melhores salões, craque, humilde, optou por pagar pouco". Sério?

Como se eu já não estivesse achando absurdo o suficiente uma matéria na Gazeta Mercantil sobre o preço do corte do cabelo da criatura, e o apelo emocional digno de musiquinha de fundo sobre a infância pobre do jogador, que na época "pensaria duas vezes antes de pagar R$ 15 por um corte de cabelo", de repente o jornalista começou a dar dicas de coisas legais que podem ser feitas pela bagatela de 15 reais.
"Apreciar o pôr-do-sol no Forte de Copacabana tomando um chá da tarde e comendo um doce ou salgado também é possível", ou "para conferir as exposições sazonais e o acervo fixo do local (Masp), o visitante desembolsa - na mosca - R$ 15." Viu? Na mosca, amiga.
Aí o texto continua falando sobre "programas 'verdes'" no zoológico e "festinha privada entre amigos", e não se sabe mais o que o Ronaldo (que por acaso "diminuiu o volume do cabelo e teve as laterais raspadas", vejam só como eu fiquei mesmo bem informada) está fazendo na matéria.

Mas como se não fosse o suficiente, aí vem o que pra mim é o ponto alto do texto: "Por fim, se gastar não é a intenção, os investidores de plantão podem aplicar os R$ 15 na poupança, que rendeu 7,90% no ano de 2008. Se o rendimento se mantiver estável até janeiro de 2010, é possível que os R$ 15 virem R$ 16,20 - com esse R$ 1,20 a mais, além do cabelo cortado, ainda sobra um pouco para o gel."

Na Gazeta Mercantil! Na editoria de esporte!

(Pausa.)
Tá. Acalmei.

Aí o Ronaldo é resgatado na matéria com um "independentemente disso", e o texto termina em "agora, a esperança dos corinthianos é que ele continue o mesmo craque daqueles idos tempos."

Vergonha alheia, sabe?

3 comments:

Cesar said...

Sou meio completamente suspeito pra falar, mas a Gazeta Mercantil acabou em 2001, com o grande desastre que resultou na demissão de uns 250 jornalistas e a venda do jornal, indadimplente, endividado ao Tanure. E a coisa que esse senhor (que também é dono do JB) fez usando o título, é um arremedo do que a GM foi. A redação está "otimizada": a matéria de "esporte" provavelmente foi produzida pela redação do JB, assim como as matérias de economia do jornal carioca são produzidas pela equipe da GM.

Cesar said...

"Indadimplente"? Uau, ando lendo demais o "Quiet things"... ;-) deveria ter escrito "inadimplente"

Anonymous said...

Vc sempre confunde as palavras?? rsrsrs
deveria ir no oculista...