Friday, January 30, 2009

Eu tenho um sonho.

Eu sonho com coisas bizarras. Dessa vez fui ao show da Madonna.
Eu poderia parar a narrativa por aqui, já seria bizarro o suficiente eu ir a um show da Madonna, mas ainda piora.

Fomos eu e a Versão para o show, que aparentemente era um evento que durava horas, as pessoas iam, faziam lanches, passavam o dia todo ali rindo e conversando e comemorando alguma coisa. Espero que alguma coisa além da vinda da Madonna, mas tudo bem. Era um evento tipo o jogo de Harvard e Yale no episódio de Gilmore Girls. Enfim.
Estávamos ali no estádio, no ponto mais distante possível do palco. Sério. Nem um super-telão ajudaria em alguma coisa, de tão longe que era. Em meio aos comes e bebes, eis que olho para o lado e vejo um bebê. Parado ali, quietinho, sozinho. Alguém tinha abandonado um bebê ao meu lado. Tá.
Acabou o show, e a Versão e eu voltamos pra casa. "Que casa?", pergunta ela, fora do sonho. Sei lá, a gente morava na mesma casa. Nós e metade da família de cada uma. Era muita gente. Naquela madrugada eu voltei ao estádio para buscar as coisas que tínhamos deixado ali, sabe-se lá o motivo. Encontro o mp4 da Versão jogado no chão, olho pro lado e vejo o bebê. Sim, nós tínhamos esquecido o bebê abandonado no estádio. Tipo, eu não tô acostumada a ter bebê pra carregar pra onde eu for, aí sei lá, esqueci. Normal. Mas voltei e lembrei de pegá-lo dessa vez, vejam bem que pessoa legal eu sou.
Quando ia saindo do estádio com a criança no colo, um homem muito sombrio veio me dizer que eu não deveria estar ali essa hora. "Por quê?", pergunto. "Porque eles estão matando todos os descendentes da Madonna no Brasil!", sussurra o homem.

É. Um grupo desses secretos underground revoltados com o mundo queria matar a descendência da Madonna. No Brasil. Sei lá o que meu subconsciente captou nos últimos dias.

Voltando ao sonho. Descobri quem era a mãe do tal bebê. Era uma descendente da Madonna no Brasil, e iam matá-la assim que a encontrassem. Querendo evitar a morte de seu precioso rebento (sei lá, fui tomada por um surto literário agora), a mulher abandonou o filho para que algum não-descendente da Madonna no Brasil o levasse para algum lugar seguro. Algo meio Moisés, só que acrescentando a parte da Madonna. Sei lá.

Aí sem mais nem menos eu acordei e fiquei sem saber o final. Droga.

Ah, sim. O nome do menino era Maria João.
Como eu já disse, sei lá.

2 comments:

Fabiane Bastos said...

Acho q vc fez uma mistureba de metade das histórias e fatos que viu na vida. Mas tava ficando bom!

Continue pensando nisso, quem sabe vc sonha o final na próxima noite???

Priscila said...

hauahuahuahuahuahauhhauhauhauahuah... que imaginação fértil, gente, como podeeeeeee