Sunday, September 28, 2008

Saber ouvir, saber ler

Fui a um restaurante com a minha mãe hoje para almoçar. É domingo, estamos sozinhas, nenhuma de nós tem a menor voia de fazer comida. Enfim.
Explicações desnecessárias à parte, estávamos almoçando e minha mãe reclamou que a comida estava fria (na verdade gelada, o macarrão parecia salada).

Eu: Ah, mas até que eu gosto de comida fria.
Mãe: Sim, mas almoço quentinho é mais amoroso.

Fiquei olhando pra ela com cara de interrogação porque não conseguia mesmo fazer uma associação entre comida fria e falta de amor ali na hora (agora até conseguiria fazer alguma metáfora tosca, mas isso não vem ao caso), e foi um tempo até eu descobrir que ela tinha na verdade dito que é mais saboroso.

Analisando meus posts dos últimos meses é possível perceber uma certa tendência que eu tenho a ler errado e ouvir mal o que as pessoas dizem. Mas a culpa não é minha, é herança genética. Hoje mesmo minha mãe leu "sobremesa de frango" e "batata na porta" quando na verdade o que estava escrito era "sobrecoxa de frango" e "bata na porta".

Não deviam deixar minha mãe e eu sozinhas assim.

Saturday, September 27, 2008

Mais passeios da mente

"Única , incomparável , indispensável , inigualável , inexplicável . . . Inesquecível. ♥
Mande para as 8 amigas que significam tudo isso pra você"

Oito pessoas igualmente inigualáveis e únicas?
Só pra mim isso parece irônico?

***
E o anúncio do msn:
"Quer um carinho?"
Só porque estou no msn num sábado eu sou uma pessoa carente?

***

Ainda nos anúncios do msn (sério, eu adoro esse negócio; fico abrindo janelas de conversa com pessoas que jamais vou conversar só pra poder ver anúncios), leio:

"Evite o recenseamento."

Campanha contra?
Tentativa de fazer o censo ser visto como forma do governo de controlar a população?
Protesto de forma discreta pra entrar no subconsciente dos usuários do msn?

Não. Li errado.

"Evita o ressecamento" (da pele).

Propaganda de creme.
Que decepção.

Wednesday, September 24, 2008

Compreensão infantil

Ontem eu estava lembrando que quando era pequena eu pensava que "terceiros" eram idosos.
Achava um absurdo o preconceito nas placas "não aceitamos cheques de terceiros".
Sempre tive pena dos velhinhos por isso, nem pagar com cheque eles podiam...

Aí eu cresci e entendi que 'terceiros' e 'terceira idade' não são a mesma coisa.
Meu universo infantil era muito mais legal.

Coisas do Orkut III

E fuçando pelo Orkut aleatoriamente, encontro a mesma pessoa nas duas comunidades:

Mais que irmãs,
melhores amigas! [♥]

amigas? não! somos IRMÃS ♥
porque nossa amizade já é irmandade..

Escolhe, minha filha.
Assim uma anula a outra.


E deixa eu ser chata e implicante, vai.

Ao amigo leitor ocasional V

"george orwell + bota de cano alto"

Assim, eu sei da frase dele sobre a bota prensando um rosto e tal, mas não sabia que era tão específico o tipo de bota. Ignorância minha?
Pelo menos não é de salto fino.

"fui atacada por um gato"

Garanto que o Google fica feliz em saber disso, amiguinha.

"qual vai ser a proxima promoção da coca?tera alguma promosao de corda"

As duas maiores lições que eu tirei da atividade blogueira nos últimos meses foram que as pessoas têm sérios problemas de auto-estima, e que a Coca-Cola precisa trabalhar muito na divulgação das suas promoções. Ou promosoes.

"como se comportar no shopping com os amigos?"

A humanidade me deprime às vezes.

"sobre ervas"

Muito bom, Sr Google. Depois de mandar gente que procurava uma aluna bêbada aqui pro meu blog, agora me transforma em especialista em ervas. Contribua assim para a minha imagem, à vontade.

Tuesday, September 23, 2008

Comemoração alternativa

Feliz primeiro dia da primavera?
Sério?
O Google não tem nada melhor pra fazer não?

De qualquer forma, muito obrigada, Senhor Google. Um feliz primeiro dia da primavera para o senhor também.

Monday, September 22, 2008

Animais empalhados, chuveiros e frestas.

Noite dessas eu tive um sonho horrível. Sério.
Mas foi o sonho horrível mais besta que eu poderia ter.

Eu queria desesperadamente tomar um banho, mas não tinha um chuveiro disponível.

Sim, isso.
No começo era a casa de uma amiga, aí do nada era um tio meu que morava lá.
Minha primeira tentativa foi o banheiro da casa. Estava ocupado. Até aí tudo bem, tinha mais dois banheiros. Fui, então, para o do quarto dos meus tios. Ocupado também. Comecei a ficar agoniada. Última tentativa, o do quarto da minha prima. Ah, estava livre, eu poderia finalmente tomar meu banho.
Foi aí que minha prima entrou no banheiro e disse que não ia sair dali. Assim, só pra não me deixar tomar banho!

Fiquei indignada a princípio, como assim ela não ia deixar eu tomar banho?
Reclamei.
Ela continuava firme ali, sentada, de braços cruzados, pouco ligando pro fato de que eu estava desesperada.
Brigamos.
Não importava quanto eu argumentasse, ela ia ficar ali.
Implorei.
Nem assim, ela estava decidida.

Nesse ponto eu já estava me segurando para não chorar. Fui ver os outros dois banheiros.
Ainda ocupados.
Aí, esperança!
Um primo veio me dizer que tinha encontrado outro banheiro na casa!
Fiquei feliz, eu ia finalmente tomar meu tão esperado banho!

Entrei no banheiro.
Todo de madeira, com uma cama de casal gigantesca no canto da parede. Eu teria que escalar aquela cama se quisesse deitar nela. Nos pés da cama, bichos de pelúcia enormes, que mais pareciam animais empalhados. Fiquei com medo.
Vi o chuveiro, no meio do quarto. Uma cama, um chuveiro, e só. Sem cortina, sem armário, sem qualquer coisa que eu pudesse esperar encontrar em um banheiro. Mas eu não ia reclamar.

Olhei, então, para a porta.
Era cheia de frestas, e qualquer pessoa lá de fora poderia ver tudo ali dentro sem precisar qualquer esforço.
E tinha muita gente lá fora.
Fui até um canto e sentei no chão encostada na parede. Comecei a chorar, repetindo: "Eu só queria tomar banho, eu só queria tomar banho!"
Meu primo veio me dizer que ficaria do lado de fora da porta segurando uma toalha ali pra que ninguém pudesse olhar, mas eu nem estava prestando atenção no que ele dizia, de tão desesperada que estava.
Eu só queria tomar banho.

Acordei chorando.

Thursday, September 18, 2008

Não-Voto consciente.

Por motivos de força maior, fui a um salão de beleza fazer as unhas.
Coisa mais chata, pelo amor de Deus.
Enfim.
Conversa-de-salão vai, conversa-de-salão vem (e eu só ouvindo), de repente entra uma mulher com a própria cara em forma de adesivo colada no peito (algo muito desnecessário, diga-se de passagem, já que ela tem a própria cara em tamanho real e muito mais visível um pouco acima).

- Estou aqui pra falar de política.

"Não diiiiiga", penso.
Só penso, porque eu ainda sou mais educada do que deveria.

Aí ela começa a falar que é psicóloga e não sei mais o quê, e está ali para entregar santinhos, que, segundo ela, "de santinho não tem nada hahahahahaha", e pedir nosso voto.
Já ia saindo do salão quando percebe que está esquecendo uma coisa fundamental:

- Ah, claro! Se eu for eleita, vocês podem esperar como melhoria que eu venha aqui fazer as minhas unhas!

Sério, chego a me emocionar com essas propostas sinceras assim.
Se bem que pode até ser que pelo menos ela cumpra essa.

Monday, September 15, 2008

Sejamos ecléticos

Se tem uma coisa que me diverte é ouvir cds usando o Windows Media Player com o plug-in de letras do Vaga-lume ativado. Quando o WMP não identifica cantor e nome da faixa, sendo assim Autor Desconhecido - Faixa 16, o Vaga-lume fica tentando adivinhar qual música está tocando, e eu sempre tenho surpresas agradáveis.
Agora, por exemplo, estou ouvindo It Must Have Been Love, da Roxette, e acompanhando a letra de Convite de Casamento, de Gian & Giovani.
Coisa linda.

"A gente morou e cresceu na mesma rua
Como se fosse o sol e a lua
Dividindo o mesmo céu
Eu a vi desabrochar, ser desejada
Uma jóia cobiçada
O mais lindo dos troféus"

Poesia pura, vai dizer que não.

Inglês alternativo

Nossa, quase esqueci o endereço do meu próprio blog.
Trabalhos, trabalhos, provas, mais trabalhos, e as aranhas vão fazendo teias aqui.
Que drama.
Mas é, então só pra não deixar isso aqui às moscas por sabe lá mais quanto tempo, um post (que, lógico, tem minha mãe como personagem principal).
***
Eu estava ouvindo uma música, e minha mãe entrou no meu quarto no trecho:

But I've moved on
Like a rolling stone


Ela não hesitou em perguntar: "Ela disse que gosta dos Rolling Stones?"

Quero ser igual minha mãe quando eu crescer. Ela é muito legal.

Monday, September 08, 2008

Banho espiritual

Estava escrevendo uma mensagem de celular pra minha amiga, aí antes de enviar salvei como rascunho. Quando salvei, eis que meu celular proclama:

"Batizado! Mensagem completa!"

Parei.
"Nossa, meu celular é estranho", pensei, lembrando de quando ele se declarou pra mim. "Agora ele batiza... alguma coisa."

Mas aí fiquei decepcionada ao perceber que tinha lido errado, obviamente, e era "realizado!", e não batizado.
Gostava mais quando meu celular me ajudava no caminho da salvação.

Convicção

Ps do post anterior:

Se tem uma certeza que eu tenho nessa vida é que para cada situação do cotidiano existe uma referência a O Rei Leão que pode ser feita - e eu vou saber fazer.

Saturday, September 06, 2008

Você deve ocupar o seu lugar no ciclo da vida

Mãe, na sala: Fi, vem aqui pegar uma coisa pra mim?
Eu, no computador: Já vou, mãe.

20 minutos depois...

Mãe: Filha, você me esqueceu?
Eu, ainda no computador: Ah! Esquecii, desculpa, mãe! /o\
Mãe: Tudo bem né...

Fiz o que ela queria que eu fizesse.

Eu: Ai mãe, desculpa, juro que não foi de propósito.
Mãe, após uma pausa dramática: 'Você esqueceu de mim. Esqueceu quem você é, e esqueceu de mim'. Agora eu entendo como o Mufasa se sentiu.
Eu: Cala a boca ¬¬

Talvez eu tenha assistido mais O Rei Leão do que devia, e taaaalvez eu tenha forçado pessoas a assistirem comigo um tanto considerável de vezes.
Mas só talvez.

Preciso de um dicionário de sonhos.

Essa noite eu sonhei que a velocidade do download de um episódio de uma série aqui era de 3,33 kb/s negativos!
Aí o tempo estimado de download ia aumentando e eu ficando desesperada sem saber o que fazer, já que já estava em 85% e eu não podia cancelar!
E enquanto isso eu tentava ouvir um cd aqui, mas meu computador mostrava o aviso: "Estamos com mania de implicar com a música 'É Eu'."

Alguém tem alguma interpretação?
(Além, é claro, do fato de eu estar passando tempo demais na frente do meu computador velho, lento e ruim.)

Thursday, September 04, 2008

Minha participação nas aulas - parte 3.

Colega Aleatório: É muito difícil achar um jornalista esportivo, porque futebol tudo bem, mas ginástica olímpica, ginástica rítmica, psicose...

Eu, pra uma amiga: Psicose? O.o
Cláudia: Foi o que eu entendi também!
Eu, pra outra: Karina, ele falou psicose? O.o
Karina, que rabiscava alguma coisa qualquer (já que eu não sou a única aluna exemplar ali) : Não sei, não ouvi...
Eu: Ginástica olímpica, ginástica rítmica, psicose! Gente, ele falou psicose!

E nisso nós perdemos o rumo da aula, mais uma vez. Normal.
Mesmo porque, eu fiquei imaginando um jornalista especializado em cobertura de psicose, e aí sem chance de eu conseguir fazer minha cabeça voltar pro assunto da aula.

Mas sério, que esporte ele pode ter dito ali? Alguém arrisca?

Monday, September 01, 2008

"Sweet dreams are made of this..."

Há duas noites eu acordei no meio da madrugada, rindo do sonho absurdo que eu tinha acabado de ter. Esse eu tinha que contar depois pra alguém. Então, sabendo do meu histórico de esquecer sonhos, pensar que eu devia ter anotado pra lembrar, depois sonhar e pensar em anotar, mas logo em seguida ter a certeza de que tal sonho era inesquecível demais e eu não precisaria de ajuda de anotações pra lembrar dele, e sim, acabar esquecendo completamente e depois me culpar de não ter anotado, resolvi anotar palavras-chaves desse sonho em especial.
Ontem encontrei o papel, que em letra quase ilegível dizia:

"IÁ
BASQUETE
EDITORIA DE POLÍTICA
NÚMERO DA SORTE DA PESSOA BURRA"

Resultado: não tenho idéia do que essas frases querem dizer, nenhuma lembrança do que era o sonho, tenho um certo medo do meu subconsciente, a conclusão de que estou me envolvendo demais com as aulas, e além de tudo ainda tenho a curiosidade eterna do significado das minhas anotações noturnas.

Anotar não adianta, vou voltar ao meu ciclo de antes.