Friday, August 29, 2008

Analisando personalidades em lugares alternativos - 1

É no ônibus, todos os dias, que eu percebo a persistência das pessoas em completarem seus objetivos.
Tomo por exemplo uma determinada moça: ela entra todos os dias com o objetivo concreto de conseguir um lugar para sentar, por mais que todos os lugares já estejam ocupados quando o ônibus passa pelo ponto dela.
Mas é essa garra, essa força de vontade que ela tem e eu invejo, que a fez decorar a ordem de saída das pessoas do ônibus durante o percurso. Ela aprendeu, por exemplo, que uma certa menina de botas desce do ônibus primeiro, sendo a próxima uma loira de cabelo comprido, aí depois meu amigo e eu.
Eu mesma decorei essa ordem, vejam bem, de tanto observar a moça persistente.
Ela sempre consegue sentar, mais cedo ou mais tarde, e pessoas que entraram no ônibus antes dela continuam em pé. É impressionante.

Só que algo me incomoda muito.
A moça do ônibus parece, muitas vezes, um urubu desesperado por um pedaço de carne, ali espreitando, só esperando a oportunidade de atacar.
Eu não era uma vítima constante, já que costumava saltar no mesmo ponto que outro passageiro, e a moça oportunista dava preferência ao lugar dele. Ótimo.
Entretanto, de uns dias pra cá, esse passageiro e as outras duas pessoas que saltavam antes de mim, pararam de pegar esse ônibus.
Ou seja, agora, todas as manhãs, às 7h30, estou eu sentada, e a moça do ônibus em pé ao meu lado, batendo a bolsa dela na minha cara durante todo o percurso.
Não é agradável.

Estou considerando ir em pé na próxima semana para ver se ela fica um pouco desnorteada.

Ps. Já brinquei de saltar um ponto à frente para deixá-la confusa.

2 comments:

Marco Y said...

temo por seus inimigos...risos

que mente diabólica

;)

Helô said...

eu tentaria também fazer essa criatura sentir um pouco o gosto do próprio remédio: quando a bolsa fosse enfiada na minha cara, levantar, deixá-la sentar e entao enfiar a bolsa na cara dela. Talvez assim ela fosse urubuzear em outra freguesia.