Saturday, June 28, 2008

Pensamento do dia

No meio de alguma conversa aleatória com meu pai, minha mãe pediu se podia ser filosófica por um instante. "A vida deve ser vivida", sentenciou, com um ar sério.
Foi um momento bonito.
Uns segundos de silêncio depois, ela caprichou no sotaque e soltou: "la vida deve ser vivida. hahahahahahaha, adorei essa."

Mãe cachaceira é outra coisa.
Não me responsabilizo pelo meu futuro.

Simpatia de Giz

Eu já me enchi de tudo o que você diz
Da tua cara de profeta lá da Praça Paris
O teu jeito de ser o que você queria ser, mas não é
Olha como ET e pensa como perdiz
É o teu jeito de bancar um cara rico e feliz, mas não é
Mete o pau na água e compra um chafariz
Acha que é um rei e ri dos meus bem-te-vis
Acha que é o dono dessa bola que eu não quis, mas não é
Eu não agüento mais tua simpatia de giz
O teu jeito de saber do vento mais que o nariz
O teu jeito de ser o que você queria ser, mas não é
Olha como folha e pensa como raiz
É o teu jeito de bancar um cara rico e feliz, mas não é
Querendo me ensinar aquilo que eu sempre fiz
Usando o que é dos outros pra sonhar e não diz
Fundando a filial querendo ser a matriz, mas não é.

Oswaldo Montenegro.


Né? :)

Thursday, June 26, 2008

Experiências edificantes no shopping

Sem ironia.

Estava na Saraiva com a minha tia, ganhando o Almanaque dos Seriados que eu tanto queria (e que desde que foi lançado eu lia o número de páginas que conseguia cada vez que ia lá até que algum funcionário da loja começasse a disfarçadamente passar ao meu lado várias vezes fazendo uma leve pressão psicológica para que eu parasse, mas até esse dia eu já tinha conseguido ler bastante; a Saraiva tem lugares estratégicos que os vendedores negligenciam um pouco, mas shhh), quando de repente vejo um rapaz caminhando pela loja com um contrabaixo. Fiquei estática. Aquele negócio maravilhoso é maior que eu (não que seja difícil, mas ainda assim). Depois juntaram-se a ele um homem com um violão e outro com um violino. Iam fazer um mini-show ali.

Eu chorei na passagem de som. Sério.

Enfim, depois dos 45 minutos que foram talvez um dos melhores momentos da minha vida, eles avisaram que fariam uma apresentação maior na noite seguinte.
Lógico que eu fui.
Arrastei minha mãe e minha tia comigo, falei com os três, fiz o violinista me dar a partitura escrita à mão por ele mesmo de uma das músicas, e sim, contei isso pra quase todo mundo. Ou pra tipo três pessoas, no caso, mas considerando meu círculo de amizades, três pessoas já é quase todo mundo pra mim.


Eles são quase desconhecidos. Egoisticamente, adoro que seja assim.
Ainda bem que eu estava lá, conheci, vi, ouvi, gravei, e continuo ouvindo.
E como a Versão bem falou hoje, ninguém pode tirar momentos de mim.
Esse definitivamente foi um desses aos quais eu vou me apegar e lembrar pra sempre.

Tuesday, June 24, 2008

Experiência traumatizante no shopping

Estava no shopping com a minha tia, como de costume, e fomos almoçar. Optamos aleatoriamente por um dos "restaurantes" italianos da praça de alimentação, e era um daqueles que as pessoas vão escolhendo os ingredientes que querem no molho enquanto o cara vai preparando, depois escolhem qual molho vão querer, bem como o tipo de massa. Muito bem, um prato personalizado, uma coisa bem atendimento-bancário, só que gastronômico.
Fomos para a fila, e ficamos observando um menino que pareceu estar um pouco confuso na hora de listar os ingredientes que iria querer. Fiquei irritada com ele, e reclamei com a minha tia. Enfim.

Ali na fila a moça veio nos dizer que podíamos optar por oito dos ingredientes.
Pareceu fácil.

Foi então que a mulher que estava na nossa frente se atrapalhou na hora da escolha. Ela foi muito bem até a quarta opção, senhora de si, mas aí gaguejou um pouco na quinta, e travou completamente depois da sexta. O cara que prepara o molho começou então a lembrá-la de que ainda faltavam dois ingredientes, com um leve tom de pressão na voz. Ela começou a repetir um pouco desesperada: "eu sabia todos os ingredientes, eu sabia..."

Fiquei assustada. A próxima seria eu.

Comecei bem: queijo, champignon, palmito, azeitona. Aí eu travei. Ele ficou me olhando e esperando a continuação, e eu simplesmente não conseguia falar. Olhei todos os ingredientes expostos ali e de repente esqueci todas as coisas que eu gosto, e os nomes delas. Foram talvez os segundos mais tensos da minha vida.

Aí a salvação! Peito de peru!
Alívio.

Mas logo a tensão voltou. "Ainda faltam três", ele me dizia.
Eu não sabia o que fazer. Quase encenei um momento dramático sobre como minha mãe tinha exigido coisas demais na minha infância, e como meu pai queria que eu fizesse faculdade de medicina e eu tinha o decepcionado, e carregava esse peso agora e por isso não sabia mais fazer escolhas. Eu conseguiria chorar se precisasse. De verdade. Os problemas familiares inventados só seriam pretexto.

Não sei exatamente como foi o final. Tenho a vaga lembrança de ter pedido queijo e champignon de novo, e menor idéia de qual foi a última escolha. Foi tudo tão traumatizante! Próxima vez eu anoto os oito ingredientes e vou preparada.

Sério.

Monday, June 23, 2008

Sobre a minha personalidade

Eu estava rindo na frente do computador de alguns scraps da minha amiga quando minha mãe resolveu, bem, ser ela, e incomodar:

Mãe: que que você tá rindo sozinha aí?
Eu: scraps, mãe.
Mãe: não gosto que fique rindo.
Eu: ...
Mãe: rir sozinho é sinal de fraqueza.

Interessante.
Mas eu tive crise de riso.
Adoro a minha mãe.

Saturday, June 21, 2008

Coisas do Orkut II

O fato de a mesma pessoa estar nas comunidades "Por que quem eu amo não me ama?" (de forma abreviada, mas tenho um bloqueio mental que não permite que eu abrevie palavras) e "Sou solteiro e sou feliz" me irrita profundamente.

Devia ter algum tipo de controle que proibisse que as pessoas entrassem em comunidades que se contradizem.

Coisas do Orkut I

Comunidade: "Eu sou contra a fome na África"

Ah, eu também sou contra. Essas pessoas que são a favor, viu, não sei o que fazer com elas.
Ficam com campanhas por aí pra arrecadar fundos pra fazer a fome na África continuar, um absurdo!


Sério, por que as pessoas não sabem escolher melhor as palavras?
E sim, eu sei que sou chata.
Só precisava reclamar em algum lugar, e esse blog é meu, lalala.

Thursday, June 19, 2008

Aprendendo a mexer em computadores

Então, hoje eu aprendi que se você bater acidentalmente duas vezes seguidas em alguma(s) tecla(s) não definida(s) localizada(s) na região do Backspace, do sinal de igual, do underline, e possivelmente chegando do F8 ao F12, a tela do monitor fica preta de repente, a música pára completamente, e você fica parado e sem ação, levemente desesperado querendo saber que merda você fez dessa vez, e manda uma mensagem pra sua amiga dizendo que você não sabe o que aconteceu e não sabe o que fazer.

Olha, sou auto-didata em informática.

Ligações Telefônicas

Vou roubar por um post a Série de Ligações Telefônicas da Versão, porque a Versão é tão legal e eu quero ser ela então vou fazer/gostar de tudo que ela faz/gosta como se fossem coisas que eu fiz/gostei a vida inteira:


Fulana: oi, meu nome é Fulana, eu sou da Brasil Telecom e gostaria de falar com o Sr Jorge.

Eu, com minha voz de criança inocente: olha, ele é meu pai, e já ameaçou processar vocês aí da Brasil Telecom porque vocês ficam ligando milhares de vezes apesar de ele já ter pedido pra por favor não ligarem mais então eu se fosse você riscava o nome dele aí e não ligava nunca mais, tá bom? [aqui eu respirei]

Fulana, com a animação esperada de operadores de telemarketing que acabam de receber uma ameaça de processo: tudo bem, obrigada! boa tarde!


Não posso nem reclamar, adoro quando elas ligam e eu posso falar isso. E é verdade que meu pai queria processá-los, essa gente gosta de viver perigosamente mesmo.

Wednesday, June 18, 2008

Ah, e...

"Half a week before the winter..."


Dia legal pra se fazer aniversário =)

Tuesday, June 17, 2008

Mais um.

Time, where did you go?
Wait, don't go so fast
I'm missing the moments as they pass
Just give me many chances
I'll see you through it all
Just give me time to learn to grow
Now this is my time
And I'm gonna make this moment mine =)
I'll take what you give me
Please know that I'm learning
My world's getting clearer
So wait for me this time.


Adaptação livre, hoje eu posso.
Obrigada, Chantal.

Monday, June 16, 2008

Programação infantil e educativa

Um dos momentos mais felizes da minha vida foi no ano passado, quando minha prima, que então tinha 9 anos, falou: "olha, eu sou o Monk!", e saiu pisando apenas nas partes do piso do shopping que são de uma determinada cor.

No mesmo dia ela me contou que assistia CSI e Cold Case sempre que conseguia. Tão bom saber que desde os 9 anos ela vem adquirindo um ótimo conhecimento criminal.

E eu juro que não fui eu que a levei por esse caminho. Deve ser de família.
Mas por via das dúvidas, vou dar um jeito de fazer com que ela comece a ler os livros do Marcos Rey na Série Vagalume, e daqui a alguns (poucos) anos, quando eu perceber que ela está preparada, irei apresentá-la ao maravilhoso mundo de Agatha Christie.


Ps. Aí a mãe dela a vê lendo "É fácil matar" e me mata facilmente.

Thursday, June 12, 2008

Você sabia...

Que eu não consigo colocar a pasta na escova de dentes com a mão direita?

Já desisti de tentar, depois de alguns acidentes devido à minha teimosia e problemas em aceitar o fato de que mesmo sendo destra eu não tenho coordenação o suficiente para realizar uma tarefa tão simples.


Da série: coisas inúteis sobre a minha pessoa.

Uma vontade idiota

Nas próximas férias de outono, vou andar de patinetes.

Só pra poder usar os marcadores que o Blogger sugere eternamente como exemplo ali embaixo.
Sempre quis fazer isso.

Espaço publicitário mal utilizado

"Pedigree abraçou toda a internet para ajudar os cães abandonados."
"Você merece jóias? Então CLIQUE AQUI"
"Veja a boné que mais combina com você AQUI"

Que tipo de anúncios são esses, msn?

Monday, June 09, 2008

Do que eu não entendo

Estava eu bebendo (muito) café hoje à tarde na faculdade, quando vejo entrar no estacionamento um carro transportando galões de água, para serem vendidos ali. O nome da empresa era Gota d'água, e até aí tudo bem. Mas aí eu prestei atenção ao que estava escrito logo abaixo do nome: "água e papel".

Tipo, como assim?

Quem abre um negócio que vende água e papel??
Se quiser vender líquidos e materiais para escritório, abra duas empresas diferentes, ué. Ou pelo menos faça uma divisão simbólica dos itens.
E eu não consigo nem pensar em uma ligação entre as duas coisas, não é como se eles vendessem chocolate e água, que teriam uma relação de causa e efeito, ou mesmo, arrisco dizer, livros e sofás - há uma relação forçada nisso, pelo menos.
Agora, papel e água??

Não faz sentido, não me conformo.


Ou talvez tenha sido só efeito do café.

Sunday, June 08, 2008

I gotta have faith(-aaah)

Estou, enfim, viciada em America's Next Top Prophet.
Meu.
Que fique registrado desde já :)

Tuesday, June 03, 2008

Sorte de hoje

"Quem se apaixona por si mesmo não tem rivais"

Mas e se eu for bipolar?
_

Post #100!

Olha que bonito, estou orgulhosa.
E para comemorar, um post de FAQ (na verdade não, eu faria o post agora de qualquer forma, sendo o centésimo post ou não, mas deixa, vamos fingir que é um post todo especial e planejado para essa ocasião tão bonita).

FAQ.

"tinha alguma de São Luís/MA?"
Não.
"E de sorocaba SP?"
Hm, não.

Esperemos que as minhas respostas melhorem ao decorrer do post.

"vc jah reparou que a gente passa mais que a metade da vida no trabalho???"
Ahn... então, ainda não.

Tá, isso aqui tá chato.

"Eu posso mandar a merda também?"
Hehe.
Sempre =D

De repente o meu respeito por quem responde os FAQs aumentou absurdamente.

"por que você escreve em inglês?"
Porque eu quero.

"Tu escreve em inglês só porque não entendo porcaria nenhuma né??"
Não, ó caro visitante desconhecido.
Essa gente com mania de perseguição é fogo.

"E Bel... Culpa por ela ser roxa?"
Sim, muita! Eu tenho 55 canetas verdes agora, e as minhas canetas preferidas sempre foram verdes, eu não posso simplesmente virar as costas e ser tão ingrata assim de uma hora pra outra. Mas em minha defesa, não tinha aquele modelo de caneta em cor verde... e eu não quero acreditar que se tivesse eu teria optado pela roxa ainda assim, então não vou mais pensar sobre isso.

"Obina não é o jogador do Flamengo?"
É.
"Ele identifica números de chamadas?"
Sim, ele fica sentado ao lado do telefone com vários plugs na testa e usa seus poderes... telefônicos para... tá, desisto. Próxima.

"alérgica como?? Espirra?"
Essa eu sei responder, eu sei!
Então.
É eu começar a lavar louça (ou mesmo pensar nisso, nos dias em que estou mais sugestionável) que meu nariz começa a coçar, e logo a região ao redor da boca também, e posteriormente as bochechas e a testa. Quanto mais eu coço meu rosto, mais coceira eu sinto; minha cara vai ficando toda vermelha, e meu nariz mais ainda. É uma coisa linda.
Mas isso só acontece à noite. A louça do almoço eu, infelizmente, posso lavar tranquilamente. Mas a minha mãe, sendo uma pessoa muito sádica (quem acompanha os posts aqui sabe disso), não liga se a minha cara inteira parece um nariz gigante de palhaço - ou seja, eu lavo a louça à noite mesmo assim.

"então algumaspalavras sairam grudadas, ok?"
claro,semproblema.

"não entendi o "three" até agora..."
Minha mãe é muito esperta.
Perde a graça se explicar a brincadeira, desculpa.

"E libera esse toc, menina."
Só quem não tem TOC fala isso.
E talvez, em algum contexto bizarro, instrutoras de ginástica também.

"Que filme???"
As Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian :)

FAQ invertido

"E sim. 'Alface' é substantivo feminino."
Que parte de "não me diz se alface for menina" não ficou clara mesmo?
Isso acabou com as minhas crenças, e com as de outras pessoas também!
Seu sem-coração.

"Quem eu torcia for perdeu."
Ahh /o\ Esse 'for' ali me confundiu um tanto, e como assim você não torcia pra Kelly Clarkson?

"Tu escreve em inglês só porque não entendo porcaria nenhuma né??
Apesar disso, tu escreve extremamente bem!"
Só eu que não entendi a lógica?
De qualquer forma, grata pelo elogio bem fundamentado.

Do que também faz bem

- Simply the b... excellent. ;)

O tipo de coisa simples e pequena que eu sempre vou lembrar, e que eu sei o significado, o efeito e a importância que teve.
E não preciso que ninguém mais saiba ou entenda.
Isso eu carrego comigo.

02.06.08

Monday, June 02, 2008

Esclarecimento

A tampinha da garrafa de Coca-Cola vale um ponto na promoção Corda na Rua.


Não tente entender.

Da capacidade de identificar cantores

Estava toda a minha família (pai, mãe, eu, cachorro) feliz a assistir a final do American Idol (sim, minha cachorra fica em pé na janela vendo tv. Ela gosta principalmente de AI e de comerciais de séries de ação) e eis que surge George Michael (para meu contentamento profundo, já que tenho motivos televisivos especiais para isso) (impressão minha ou tem mais parênteses do que texto nesse post?).

Meu pai, que nessa hora em particular estava distraído com algo banal (porque qualquer coisa me parece banal durante a final do American Idol, e talvez isso revele algum problema meu com prioridades e tudo mais, desculpa) (se bem que a apresentação do George Michael foi bizarra devido à, digamos, grande expressividade dele com as mãos [e tá, também ao fato de que ele é o George Michael], então não culpo meu pai, mas deixa, eu gostei mesmo assim), então retomando, meu pai olhou para a tv por alguns instantes e:

Pai: olha, é o Two.
Silêncio (ou quase isso, já que o George Michael não se calou enquanto meu pai falava).
Mãe: aaaaaaah sim, hahahahaha, U2!
Eu: crise de riso.
Mãe, depois que a gente acalmou: é, ele parece mesmo o Bono com esses óculos.

Lá do site oficial.

Ps. A graça não está na comparação do George Michael com o Bono, isso já é muito batido. O divertido é que meu pai é a pessoa mais alheia a qualquer coisa relacionada a música que não seja clássica, então ele saber como é a cara do Bono e quase-saber o nome da banda é hilário pra mim.

Sunday, June 01, 2008

Dependência televisiva

Oi, meu nome é Isabel e eu sou viciada em American Idol.
Aí não podia não postar alguma coisa sobre a final mais linda de todas as sete, mas como provavelmente ninguém mais me aguenta falando sobre essa edição de AI, eu vou me limitar a colocar essa imagem:


Foto roubada da Alessandra.

É de família

Minha mãe e eu, almoçando.

Mãe: olha, promoção da coca, que que é? promoção corda na rua... cinco pontos mais quatro reais é igual a uma corda. (não, a coca não me pagou pelo merchan básico, mesmo porque eu odeio coca. eca.)
Eu, pouco interessada: uhum...
Mãe: olha, "achou o vale-brinde, ganhou um coke player". será que eu achei um vale-brinde? *olha a tampa* não, não achei um vale-brinde.
Eu: e a tampa vale quantos pontos?
Mãe: hm... um ponto, acho. vou guardar, né?
Eu: pra quê você quer uma corda?
Mãe: ah. vai que eu precise enforcar alguém. é sempre bom ter uma corda ao alcance.


Belas lições de vida.