Saturday, May 31, 2008

Solução

Depois de ter meu problema de TOC atacado por causa da falta de lógica no número de posts de cada mês este ano, e de continuar incomodada com isso durante todo o mês de maio, eu finalmente encontrei uma lógica, e controlei minha vontade absurda de escrever mais e mais aqui todos os dias só pra poder terminar o mês dizendo que seis mais seis mais seis mais quatro é igual a vinte e dois.

Então pronto, estou feliz.

Mais ainda porque assim fica ali do lado 2008 (44) e Maio (22).
Deprimente eu ficar sinceramente alegre por coisas assim.

Monday, May 26, 2008

Diálogos, o retorno

Mãe: Fi, vem tomar café.
Eu: tô só terminando um treco aqui, já vou.
[...]
Mãe: vem, tá pronto já.
Eu: mãe, eu já tô indo, calma.
[...]
Mãe: fiii-lhaaa, sabe o que eu tô fazeen-do? bebendo café-éé...
Eu: ai mãe, vai.
Mãe: vai aonde?
Eu: ah. eu não vou te mandar à merda né.
Mãe: hahahahahaha *fica séria* acho bom.
_

Mãe: ah, mas eu não gosto desses nomes que aí ficam chamando por apelido.
Eu: mãe, eu sou Isa e Bel. ¬¬
Mãe: pra mim não, pra mim você é I-sa-bel.
Eu: mãe, você me chama de Fi.
_

Contextualização: minha mãe e eu em um momento sério e que exigia concentração, fazendo inscrição para o concurso da Caixa Econômica. E, claro, ouvindo David Cook.

Eu, de repente: and just staay here in this moooment for all the reeeest of tiiiiiiiime.
Minha mãe e eu (e o Cook), em coro, segurando minha flauta como um microfone: yeah, yeah, yeeeeeeeeeeeah!

E voltamos a fazer a inscrição depois disso, como se nada tivesse acontecido.
_

Eu, cantando [por culpa da Versão]: I don't know you but I want you--
Mãe, semi-gritando, interrompe: three!

Sério, até demorei pra entender essa, mas foi muito boa.

Da escritora favorita

"Sei que um novelista pode ser Deus com os personagens que cria, por tê-los em seu poder e fazer o que quiser com eles - ou pelo menos pensa que pode.
A verdade é que os personagens nos surpreendem... Será que Deus acha a mesma coisa?
Às vezes, fico pensando que sim."

Eu me surpreenderia. Surpreendo-me, aliás.
Comigo mesma, inclusive.
Mudei.

E muitos dos personagens que eu conheço, também.

-
Vontade de postar sem ter o que dizer é uma droga.

Tuesday, May 20, 2008

De quem se importa comigo

Eu tinha acabado de sair do banho, e abri o armário do banheiro para guardar algo. Assim que o abri, minha escova de dentes foi lançada para fora, em mim. Eu então disse para o armário [sim, eu falo com objetos inanimados diariamente], "Sim, calma, eu vou escovar meus dentes agora, só um minuto!"

E então tive uma vontade súbita de compartilhar esse fato.

É tão bom saber que tenho um armário de banheiro que se preocupa tanto com a minha higiene bucal. Eu me sinto privilegiada.

Sunday, May 18, 2008

Para aumentar minha auto-estima

Contextualização: 1:35 da madrugada.

Mãe: eu não consiigo dormir.
Eu, sonolenta: consegue sim, olha. viu?
Mãe: não consigo, não tô com sono!
Eu: fica quietinha aí que o sono já vem.
Mãe: vou contar carneirinhos. mas eu passo o dia contando coisas no banco, não quero contar carneirinhos.
Eu: ai mãe ¬¬ *lâmpada se acende sobre a minha cabeça* pensa em alguma coisa chata! aí você vai ficar com sono. o que você acha chato?
Mãe: você.


Isso é só uma amostra das constantes demonstrações de carinho que eu recebo diariamente.

Friday, May 16, 2008

Mais da mãe

Mãe: filha, você lembra da Marisa?

Penso, "a tia Marisa? claro que lembro, ué. não, não pode ser ela. a Marisa da tia Julieta? claro que eu lembro dela também", e minha divagação continua um pouco além.

Mas respondo, de forma muito articulada: ...?
Mãe: ah, lembra, da época que a gente ia láá pra Campina d'Alegria.
Eu: ...??
Mãe: leeembra, ela tinha um filho que estudava inglês lá na rua do Roberto.
Eu: ...???

[interrupção breve: minha memória não é exatamente boa. eufemisticamente falando.]

Mãe:
tem certeza que você não lembra?
Eu: por quê?
Mãe: porque ela morreu.
Eu: Oo
_

E no ponto de ônibus...

Moça desconhecida falando no celular: mãe? ...oi, eu tô ligando porque queria saber se você tem capacete... é... porque assim, eu vou conseguir carona agora todo dia de moto, mas daí eu não tenho capacete, precisava emprestado... aham... ah tá... mas você usa os três?

Eu: crise de riso.

Pode ter sido o café, mas eu tive várias imagens mentais bizarras de uma mulher usando três capacetes.

E sim, eu tenho o costume de ouvir conversas alheias. Quem não tem? A diferença é que eu admito abertamente. :)

Thursday, May 15, 2008

4783569324º post do dia (tá, terceiro)

"Segundo o Urban Dictionary, a sidra contém no mínimo 7% de álcool e pode ser consumida em grande quantidade, desde que o bebedor não necessite usar as pernas depois."

Li no A Casa Torta.
E eu ri mais que o normal dessa frase.
Tem alguma coisa muito engraçada ali, sério. Mas não sei explicar exatamente.
Só sei que é hilário.
_

Sim, eu ataquei a postar, no outro blog também, e não sei o que aconteceu. Espero que isso passe logo. É cansativo.
_

Trebuchet é uma fonte tão bonitinha, não é mesmo?
_

Não, hoje eu não bebi café. Juro.

Conversa à mesa

Mãe: semana que vem a gente já fica sabendo quem ganhou o American Idol, né?
Eu: se quiser... mas você vai querer saber antes de ver?
Mãe: claro!
Eu: mas é a final, não é mais emocionante assistir sem saber?
Mãe: eu gosto de saber antes, ué.
Eu: por quê?
Mãe: se eu gostasse de surpresas não ia ter deixado me falarem que você era menina antes de nascer.
Eu: pai, a mãe acabou de comparar meu nascimento à final do American Idol.
Pai: eu vi.


Minha família é um tanto bizarra. Eu não podia mesmo ser muito normal.

Tradition

May 15th, 2008:

- Two years of blog
- One year of the end of seven years of Gilmore Girls


Just to make this a traditional post.
I'm not sad this time. But damn, I miss my Gilmore girls so much.

Wednesday, May 14, 2008

Palavras difíceis

memso
auqi
tamém
blogsót
blogpsot.cpm
hojra [é pra ser 'hoje', juro]
difitar
gigitar
difgiar
[d i g i t a r, ô caramba]
enquano
enqunato
perái
mãe/mão
Isabeç

Atualizo conforme for erran... eer, lembrando.
_

Esdou gribada.

Tuesday, May 13, 2008

Cafeína

Eu: mãe, passa o alface? *meu pai pega a vasilha* ou pai, também pode ser. eu não tenho preferência de progenitor que me alcance o arroz. *mãe olha com cara de ~.^ * que no caso é alface, claro.
_

O número de vezes que eu ouço a frase "você bebeu café, né?" aumentou assustadoramente nos últimos dias.
E sim, eu bebi café.
_

Ps. Não me diz se alface for na verdade menina.

Monday, May 12, 2008

Bizarrices pessoais

Eu sou alérgica a lavar a louça à noite.
Juro.
Pode perguntar pra minha mãe.

_

Sunday, May 11, 2008

Mentalidade infantil ou A triste história do bina

Ou ainda, Uma descoberta chocante

[nunca consigo pensar em título e agora tenho três ¬¬]

Após alguns problemas com pessoas passando trotes agressivos e obscenos no telefone da minha casa, meu pai resolveu comprar um bina. E a vida foi feliz e agradável, e uma nova diversão encontrada pela minha família foi a de ligar de volta para os números que haviam nos telefonado, e assim assustar tais pessoas.

Depois de três longos e alegres anos, o bina estragou. Tornou-se um aparelhinho insignificante e sem vida. Foi mesmo um acontecimento triste, mas eu supero. Passados alguns dias de luto, meu pai resolveu que era hora de deixar nosso bina no passado, e foi comprar outro [com o qual eu não simpatizo]. O antigo bina foi então colocado em cima do balcão da cozinha, sabe-se lá por que razão. Não somos pessoas muito organizadas na minha casa, acredito eu. Durante um almoço meu pai e eu de repente começamos a olhar o bina, e meu pai disse, com total desapego, que iria jogar fora aquele treco que não funcionava mais.

Foi aí que eu comecei a pensar em como seria legal ser criança e ficar feliz quando o aparelho estragou, porque aí eu poderia pegá-lo para mim e brincar de tantas coisas. Aquilo seria um caixa de supermercado, um leitor de cartão de crédito, o lugar onde eu teria que digitar minha senha para entrar no meu escritório de detetive particular, um interfone, perto do qual eu diria "pode mandá-lo entrar" para a minha secretária, um aparelho de pressão, uma campainha, e milhares de outras coisas que passaram pela minha cabeça naquele instante.

É muito triste um mundo no qual um bina estragado é só um bina estragado. Crianças são muito mais felizes. Não quero deixar de ser uma.


E sim, 'bina' é uma palavra masculina. O Darllam que mostrou.
Tão triste quando essas descobertas assim acabam com 18 anos de crença de que 'bina' era menina.

Thursday, May 08, 2008

Momento TOC

Aviso: este post é totalmente ignorável.

Tá, algo que me incomoda profundamente.
Eu tenho seis posts em fevereiro, março e abril, e agora em maio também. Mas em janeiro tenho só quatro!
E já que eu não posso voltar a janeiro e postar mais duas vezes, eu preciso urgentemente criar um padrão. Sério. Mas eu não consigo ver padrão nenhum ali!
Tem 1 mês com 4 posts, e 4 com 6.
Hm... 1 e 4, 4 e 6, 6 e... ai, no primeiro aumenta três e no segundo só dois. Então não.
É... três dos 6 são fixos, então... 1 e 4... ah, 3 e 6 [me obrigando a postar mais esse mês, o que, só pra constar, não me parece uma dificuldade no momento], 5 e 8. Cinco meses postando oito vezes cada? Na história do blog eu só consegui fazer isso dois meses consecutivos. E mesmo aí, era porque algumas coisas estavam acontecendo. Enfim, 5 e 8 não parece uma possibilidade...
Novamente então, talvez um padrão mais maleável.
1 e 4, 3 e 6, é... 2 e 5? Não, eu já postei 6 vezes esse mês. E não tem nada que eu queira apagar ali.

Droga.
Não sei.
Isso vai me incomodar muito.
Aceito sugestões.

Eu + falta de memória + cafeína = frases confusas

Eu: que dia você vai pra lá mesmo?
Pai: 18 de junho.
Eu: aaaah é, eu sabia. eu não tinha esquecido, eu só não lembrava.
Pai: ?
Eu: é... eu sabia, mas tinha esquecido, mas eu lembrava disso na verdade, só não agora.
Pai: ??
Eu: eu não lembrava que eu lembrava que dia era.
Pai: ???
Eu: ah! eu não lembrava que eu sabia! é iiisso! mas eu sabia sim.


Tenho pena de quem precisa conviver comigo.

Tuesday, May 06, 2008

Juro que é mais forte que eu


Ela é macia, bonita, cabe tão bem na minha mão, a ponta é fina, o azul é bonito, consigo escrever rápido com ela, ela permite que a minha letra fique pequena e detalhada se eu quiser, e o meu encanto por ela é tão grande e tão oportuno que eu a chamo de Audrey.
Mas ela é roxa!
E eu me sinto tão terrivelmente culpada!
Eu, a pessoa que tem uma coleção de 53 canetas verdes, tenho uma caneta preferida que é roxa!
Não consigo lembrar da última vez que comprei uma caneta que não fosse verde, e tá que eu não conseguir lembrar de algo não quer dizer nada porque a minha memória não ajuda, mas deixemos esse assunto de lado.
Mas a Audrey é tão linda...
Eu tento me prender ao fato de que dos meus dois anos de idade até mais ou menos os dez, a minha cor preferida foi roxo.
Mas ainda assim, meu sentimento de culpa está acabando comigo.

_

Friday, May 02, 2008

Eu tenho problemas.

[só pra não ser HG 4]

Mãe: filha, por que você tá usando a blusa virada?
*vou lá e arrumo a blusa. volto pra cozinha.*
Mãe: filha, por que a sua blusa de baixo também tá virada?
*sim, está frio em Florianópolis. reclamo e vou lá arrumar a outra blusa também. volto.*
Eu: eu tava aqui muito feliz com as minhas blusas viradas até você chegar e ter que arrumar tudo ¬¬
Mãe: ...
Eu: aliás, isso é tudo uma imposição da sociedade! alguém um dia resolveu que o lado que tem costura, e que só pode enforcar as pessoas se estiver pra frente, deve ficar atrás, e aí agora todo mundo só veste blusas assim, sem opinião própria e muito menos atitude! massa alienada que segue essas imposições assim, é um absurdo!
Mãe: ¬¬
_

Eu: aaah, não gosto mais de você.
Mãe: só por isso?
Eu: ué, você não gosta mais de mim também.
Mãe: é. tem que ver que eu nunca gostei, né.
_

É por isso que eu culpo a minha mãe.

Piada interna

"Vontade de postar alguma coisa."

Frase de minha autoria.